Menu Menu
InVida Medicina Reprodutiva Em associação com Invida em associação com o Hospital Sírio-Libanês

Criopreservação

crio-preservação

Entenda a técnica

A criopreservação é uma técnica eficiente e segura usada na preservação de materiais biológicos como óvulos, espermatozóides e embriões. Grandes tanques com nitrogênio líquido armazenam as amostras a menos 196°C, por tempo indeterminado. Isso beneficia diretamente a pessoas que desejam postergar a gravidez e também a pacientes diagnosticados com câncer que queiram manter suas células reprodutivas longe dos efeitos danosos da quimioterapia e da radioterapia.

Para se congelar qualquer um deles, adicionam-se os crioprotetores, substâncias que promovem a desidratação química das células para que, ao serem congeladas não formem cristais de gelo, o que provocaria danos físicos em seu interior e até poderia rompê-las quando fossem descongeladas.

 

Congelamento do espermatozóides

Podem ser congelados frescos (recém-colhidos) ou depois de serem processados. Passam da temperatura ambiente para a geladeira, depois para o freezer e, por fim, para o tanque de nitrogênio. Essa curva precisa ser gradativa para preservar a célula. No descongelamento, basta tirar a amostra do tanque e esperar que recupere a temperatura ambiente.

 

Qual a chance de engravidar com óvulos congelados?

Com essa técnica, relativamente nova, tanto embriões, quanto óvulos passam diretamente da temperatura ambiente para o nitrogênio líquido. Há também uma maior concentração de crioprotetores aplicados no material a ser congelado.

O choque térmico ultrarrápido ajuda o crioprotetor na função de evitar a formação dos cristais de gelo em seu interior, responsáveis por danificar as células no processo de descongelamento, que também deve ser feito de forma rápida. A amostra é retirada do tanque e mergulhada em uma solução a 37°C para ter o mesmo choque. Óvulos e embriões demoram cerca de duas horas para recuperar sua hidratação natural e só depois podem ser usados ou transferidos para o útero da mulher.

Foi uma conquista importante, pois, anos atrás, a taxa de recuperação dos óvulos pela técnica de congelamento lento, ou gradual, era muito baixa. Mulheres com diagnóstico de câncer que precisam remover seus gametas têm aqui uma ótima perspectiva de usá-los para gerar embriões saudáveis quando resolverem ter seus filhos.

O que leva as mulheres a congelarem seus óvulos?

Problemas de saúde

  • Câncer
  • Zika Vírus
  • Histórico de menopausa precoce na família
  • Tratamento com altas doses de corticoides
  • Doenças imunológicas e outros problemas que possam colocar em risco a saúde da mãe ou do bebê

Fatores sociais

  • Compromissos profissionais
  • Compromissos acadêmicos, como doutorado ou especialização no exterior
  • Aproximação dos 35 anos e não ter previsão de engravidar

Para quem mora fora de São Paulo

Conheça as soluções para nossos pacientes.

saiba mais

Saiba mais sobre Criopreservação