Menu Menu
InVida Medicina Reprodutiva Em associação com Invida em associação com o Hospital Sírio-Libanês

Fertilização In Vitro

Gravidez natural com ajuda da ciência

A técnica de Fertilização In Vitro consiste na coleta dos gametas masculinos e femininos, realizando a fecundação dos mesmos em laboratório a fim de obter pré-embriões de boa qualidade. Posteriormente estes embriões são transferidos de volta para o útero materno.

Como acontece a Fertilização In Vitro

Antes de executar a coleta é feita uma estimulação ovariana através de medicamentos adequados. Em conjunto acontece o acompanhamento médico regular que irá definir o melhor dia para a coleta dos gametas.

 

Os ovócitos assim obtidos são encaminhados ao laboratório de embriologia, onde serão classificados e alocados em um ambiente controlado.

 

Já os espermatozoides são obtidos por meio de masturbação assistida ou em caso de ausência de gametas no sêmen, a retirada pode ser feita diretamente nos testículos. Após escolhidos os melhores em termos de motilidade e forma, são selecionados cerca de 50 a 100 mil para serem colocados ao redor de cada óvulo.

 

Um deles irá chegar até o óvulo e o embrião depois será formado. Nos casos em que não há mais produção de gametas, como mulheres na menopausa ou homens que não sintetizam espermatozoides podem ser feito o uso de gametas doados.

 

O processo é idêntico ao ocorrido dentro do útero. Quando o embrião já está pronto ele é colocado no útero da mulher. Para a fecundação se utiliza um espéculo, semelhantemente ao usado no exame ginecológico, e depois um cateter bem fino é inserido no útero da mulher. Um ultrassom orienta o médico sobre o local onde deve ser colocado o embrião.

 

Após duas semanas é feito o exame para detectar se houve sucesso no método.

Para quem a Fertilização In Vitro é indicada

Mulheres que tenham fatores anatômicos obstrutivos como trompas interrompidas e endometriose são fortes candidatas a recorrerem à FIV, já que ela simula a função tubária em laboratório ao fazer a fecundação artificialmente.

 

Mulheres acima dos 35 anos terão invariavelmente mais dificuldade de engravidar por causa da quantidade e qualidade de seus óvulos. Este fato é um complicador para qualquer outro fator de infertilidade, seja da própria mulher ou do homem.

 

Também se enquadram homens que apresentam problemas no espermograma, azoospermia, anticorpos antiespermatozóides ou que tenham feito vasectomia e não desejam revertê-la.

 

Outra situação em que a FIV pode ser necessária é quando há a necessidade de doação de óvulos, no caso de mulheres que não os produzem mais ou em casos de casais homoafetivos.

Agende a sua consulta

Nossa equipe de especialistas entrará em contato.

Pra quem é fora de São Paulo Conheça Nossa Equipe